Skip navigation

A indústria brasileira de cobre engloba as produções de concentrado (46 mil t/ano), de cobre refinado (176 mil t/ano) e o segmento de transformação, com capacidade total de 433 mil t/ano, distribuída por fios e cabos (49%), laminação e extrusão (45%) e outros produtos (6%).

O setor de cobre pode ser considerado eletrointensivo, com consumo anual de cerca de 1,3 GWh, sendo também grande consumidor de combustíveis (gás e óleo), principalmente na etapa de refino.

A indústria de cobre gera cerca de 25 mil empregos diretos, principalmente no segmento de fios e cabos, que emprega, atualmente, cerca de 14 mil pessoas.

Em termos de faturamento, verificou-se crescimento de 32% no período 1993/96, atingindo US$ 3 bilhões em 1996, com recolhimento de impostos de US$ 630 milhões, representando 21% da receita total.

Reservas minerais

As reservas brasileiras medidas e indicadas de cobre montam a 11,6 milhões de t de metal contido, representando apenas 1,9% das reservas mundiais estimadas em 607 milhões de t.

Estas reservas estão localizadas nos estados do Pará (65%), Goiás (14,4%) e Bahia (13,2%) e os 7,4% restantes distribuídos pelos estados do Ceará, Alagoas, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Mato Grosso.

O Rio Grande do Sul, apesar de ter apenas 0,2% das reservas brasileiras, contribuiu com 10,3% da produção nacional de concentrado de cobre em 1995. Entretanto, a mina de Camaquã – RS está em processo de exaustão tendo encerrado a produção em 1996.

Jaguarari-BA, responsável por cerca de 90% da produção brasileira de concentrado, segundo pesquisas realizadas recentemente, ainda tem uma vida útil de cerca de 5 anos no nível atual de produção, se realizados os investimentos necessários em lavra subterrânea. As reservas do Pará estimadas em 7,5 milhões de t de cobre contido, referem-se basicamente às jazidas de Salobo descobertas pela CVRD – Cia Vale do Rio Doce com apoio do BNDES. Segundo informações da Salobo Metais, suas reservas seriam equivalentes a 11,2 milhões de t de cobre contido, porém ainda não estão computadas nas estatísticas do DNPM – Departamento Nacional da Produção Mineral.

Recentemente foram descobertas novas minas de cobre na região de Carajás, ainda não dimensionadas e que deverão aumentar substancialmente as reservas brasileiras do metal.

Fonte

One Comment

  1. muiiito bom o blog d vcs,mandaram muiiito nessa questão do cobre,e foi d grande ajuda na questão d consuta para um trabalho q realizei.!

    vlw.!
    =]


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: